Read the latest issue of Breakthroughs

Encontrando caminhos para compartilhar os recursos mundiais

Durante a recente Conferência sobre Mudança Climática da ONU (COP17) em Durban, África do Sul, IdeM foi admitido como observador oficial. Seis jovens membros de IdeM, incluindo eu e dois ex Caux Scholars, participaram como representantes do grupo Economia & Ambiente do Fórum de Caux para Segurança Humana.

Encontrando maneras de compartir los recursos del mundo

Jennifer Helgeson es una estadounidense que trabaja actualmente como investigadora en la Escuela de Economía de Londres del Centro Grantham para el Cambio Climático y es codirectora del Grupo de Economía y Medio Ambiente - parte del Foro de Caux sobre Seguridad Humana de IdeC. Ella reporta sobre su tiempo en Durban.

Finding ways to share the world's resources

Jennifer Helgeson is an American currently working as a researcher at the London School of Economics Grantham Centre for Climate Change and is co-director of the Environment & Economy group – part of IofC’s Caux Forum for Human Security. She reports on her time in Durban.

O que as religiões do mundo podem fazer sobre a mudança climática?

À medida que as nações se reúnem em Durban para uma nova rodada de negociações sobre mudança climática, Mike Lowe pergunta o que as religiões do mundo podem trazer para a mesa.

Was können die Weltreligionen zum Klimawandel beitragen?

Während in Durban eine weitere Reihe internationaler Gespräche zum Klimawandel laufen, stellt sich Mike Lowe die Frage, welchen Beitrag die Weltreligionen leisten können.

¿Qué pueden hacer las religiones del mundo con respecto al cambio climático?

Mientras las naciones se reúnen en Durban para otra ronda de conversaciones sobre el cambio climático, Mike Lowe pregunta qué es lo que las religiones del mundo pueden aportar.

What can world's religions do about climate change?

As the nations gather in Durban for another round of talks on climate change, Mike Lowe asks what can the world’s religions bring to the table.

Mudando de “Eu" para “Nós”

Hoje uma das maiores campanhas mundiais da história inicia uma nova fase – o partido do trabalho global de 10/10/10. Durante 2009, em vésperas da Conferência de Copenhague sobre as alterações climáticas - COP 15, a campanha 350.org organizou o "dia mais comum de ação política", no sábado 24 de outubro, quando 5245 ações separadas tomaram lugar em 181 países, todos chamados para um compromisso com uma meta de 350 partes por milhão (ppm) de dióxido de carbono (CO2) na atmosfera da Terra. Os níveis atuais estão acima de 385 ppm e continua subindo.

A quem a Terra pertence? A quem prestamos conta?

Imagine, se quiser, este cenário. Você está dirigindo um carro com seu filho ao lado. Rápido demais, você deixa de ver os sinais de trânsito, resultando em um acidente que deixa seu filho gravemente ferido. Os médicos fazem o que podem e dizem-lhe que, a menos que seu filho se submeta uma série de caras cirurgias, ele vai levar uma vida muito prejudicada. Neste ponto você: (a) se recusa a acreditar nos médicos, dizendo que seu filho vai ficar bem sem as cirurgias, ou (b) diz aos médicos que está disposto a pagar para salvar os olhos de seu filho, mas não as pernas, porque você só quer abrir mão de 5% de sua renda, ou (c) vende a sua casa, arranja um segundo emprego e faz o que for preciso para garantir que seu filho tenha a melhor chance possível de uma vida normal?



Building trust in the heart of community







Please support this work

Thank you!

Follow us on Facebook!

Be a trustbuilder


• Listen carefully and respectfully to each other and to the whole community

  • • Bring people together, not in confrontation but in trust, to tackle urgent needs

  • • Search for solutions, focusing on what is right rather than who is right
  •  
  • • Build lasting relationships outside our comfort zone
  •  
  • • Honor each person, appealing to the best qualities in everyone, and refusing to stereotype
  •  
  • • Hold ourselves, communities and institutions accountable where change is needed
  •  
  • • Recognize that the energy for fundamental change requires a moral and spiritual transformation in the human spirit